a 200

o cabelo ainda está molhado e eu preciso que seque depressa para poder fazer o rabo de cavalo prometido. abro as janelas do carro e deixo que o vento me seque, o cabelo e as lágrimas de um crocodilo que não me larga. o cabelo voa e seca e cola-se às lágrimas que o molham. nem o céu se ri e chora comigo, numa manhã que parecia de sol.
acelero e seco as lágrimas que já não molham o cabelo, que seca ao vento.
páro o carro e ato o cabelo muito apertado, que estica as olheiras e reduz os sulcos que acumulam restos de lágrimas que se evaporam. e arranco outra vez, a 200. a velocidade a que gosto de viver.

Leave a comment


Please note, comments must be approved before they are published


Do you want to customize a product with this amazing doodles?

Customize