chinês velho

fomos jantar fora. fora de casa. a um daqueles sítios onde nos trazem a comida que escolhemos à mesa.
o dia tirou-me o apetite e deixou-me sem vontade de cozinhar. acontece-me raramente, eu sei, mas acontece-me.
como sempre concedi-lhes a escolha do carro, do motorista e do restaurante.
preferem o táxi-azul-com-uma-estrela-na-frente, o foguetão-azul-com-uma-estrela-na-ponta, o coche-azul-com-uma-estrela-pendurada, o cavalo-azul-com-uma-estrela-na-testa, o carro-azul-da-mamã-estrela?
preferem a morena-de-saltos-altos, a morena-de-sapatilhas, a morena-de-boné, a mamã-de-saltos-baixos?
preferem o-do-empregado-simpático, o-da-vista-para-os-barcos, o-da-parede-laranja, o-da-lanterna-vermelha, o-do-palhaço-escocês, ...?
preferiram o carro porque é o único que tem leitor de CDs, a mamã porque dá colo, o restaurante da lanterna vermelha porque nunca lá tinham ido.
a m «potou» bem, a M também. O chinês velho estava à espreita, por trás da lanterna vermelha, ao pé da música plimplim.

Leave a comment


Please note, comments must be approved before they are published


Do you want to customize a product with this amazing doodles?

Customize